PF faz operação contra construtora Carelli e Porsche Design

Acusação é de supostos crimes financeiros.

A Polícia Federal está realizando operação na manhã desta terça-feira (9) na Construtora Carelli e em outros parceiros ligados a um empreendimento imobiliário, devido a supostos crimes financeiros.

Os nomes não foram revelados, mas estão associados ao Porsche Design Towers Brava, condomínio de luxo em Itajaí que ainda não saiu do papel devido a problemas com licenças ambientais.

O empreendimento foi lançado num espaço chique em São Paulo e mereceu da colunista social Joyce Pascowitch os seguintes comentários:

“O Grupo Porsche Design e Construtora Carelli realizaram na noite dessa quinta-feira o pré-lançamento do primeiro empreendimento no setor imobiliário da Porsche na América Latina.

Com Márcio Garcia como mestre de cerimônias, subiram ao palco Gil Dezer, sócio de Donald Trump, que detém a licença para desenvolver projetos imobiliários da Porsche Design nas Américas; Cauey Carelli, desenvolvedor da Carelli, que detém a licença para realizar o projeto no Brasil, e Cristiano Piquet, que tem a exclusividade de vendas do Porsche Design Towers Brava.

Este último mostrou detalhes do icônico empreendimento deluxe por um tour virtual. A loja da Porsche da Vila Olímpia em São Paulo recebeu mais de 300 convidados, que descobriram os detalhes do empreendimento inspirado nas belezas naturais.

Com entrega prevista para 2022, as torres serão erguidas no topo de uma montanha na praia Brava, na região de Itajaí/Balneário.”

Por sua vez a Polícia Federal emitiu hoje cedo uma nota com menos “glamour”:

Itajaí/SC, 9 de maio de 2017. A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta manhã a denominada Operação Conexão Miami, para desarticular uma associação criminosa estabelecida entre empresários do ramo da construção civil de Itajaí/SC e Balneário Camboriu/SC, dois doleiros já denunciados no âmbito da operação EX-CAMBIO (deflagrada em 22 de setembro de 2015), dois empresários americanos e um alemão – representantes de uma marca internacional de veículos de alto luxo – além de dois corretores de imóveis, que teriam estabelecido um vínculo associativo estável e permanente para a prática de evasão de divisas mediante fraude em contratos de câmbio e lavagem de dinheiro – inclusive no exterior.

A PF mobilizou 45 policiais para cumprir 09 (nove) mandados de busca e apreensão e 02 (dois) mandados de prisão temporária – prisão com prazo de 05 dias -, em Balneário Camboriu/SC e Itajaí/SC. Além disso, a Polícia Federal iniciou cooperação jurídica internacional para realizar o interrogatório dos três empresários estrangeiros, com envio de rogatórias para os EUA e a Alemanha.

O esquema começou a ser desvendado durante a operação Ex-Cambio que investigou quatro organizações criminosas compostas por doleiros que realizavam evasão de divisas mediante fraude cambial, gestão fraudulenta de instituição financeira e lavagem de dinheiro.

Com a identificação de operação de câmbio fraudulenta realizada por empresa fantasma para pagar uma empresa americana de empreendimentos de alto luxo, chegou-se ao real pagador da remessa, isto é, uma construtora de Balneário Camboriu/SC. O pagamento fraudulento deveria ser feito para uma empresa alemã detentora de uma marca de automóveis de alto luxo na Alemanha, a fim de a construtora usar o nome da marca em seu empreendimento no Brasil. Todavia, para evitar custos mais altos, os investigados teriam decidido pagar mediante contrato fraudado de câmbio à licenciadora da marca nos EUA para que essa então pagasse à empresa alemã.

A Cooperação Internacional se realiza por conta do indiciamento dos estrangeiros; eles deverão ser qualificados, identificados e interrogados.

O montante total dos valores movimentados fraudulentamente para os EUA pode chegar a R$13.000.000,00 (treze milhões de reais).

Os envolvidos responderão pelos crimes de fraude em contratos de câmbio (pena de até 4 anos), associação criminosa (pena de até 3 anos) e lavagem de dinheiro (pena de até 10 anos).

Deixe uma resposta