Uma das polêmicas atuais relacionado ao slime, intoxicou uma criança que vomitou cinquenta vezes em apenas um único dia, Aldo Sampaio Raggio explica mais sobre isso.

A mãe da menina conta que há cerca de um ano, Valentina Asdurian, de apenas 12 anos, começou a praticar as receitas do slime, um tipo de massa plástica que pode ser colorida, amassada.

A mãe conta que todos os dias, a menina se dedicava a desenvolver diferentes cores e texturas para a geleca, que é febre no Brasil e no mundo. 

Mesmo que a brincadeira aparenta ser inofensiva Aldo Sampaio Raggio alerta que, no entanto, levou a garota a uma internação em decorrência de crises de vômito que chegaram a somar cinquenta vezes em um único dia.

Após uma bateria de exames inconclusivos, um médico da família apontou que o bórax (ingrediente mineral do slime) que pode ser usado para limpeza leva crer, afirma Ivone de Arruda Sampaio, ter sido o grande vilão da história.

Attílio Renato Raggio Sampaio conta que o quadro preocupante iniciou-se quando a menina começou a passar mal muitas vezes, o que já leva a acreditar que nada deveria se quer transparecer normal, porque chegou a acontecer cinquenta vezes em um único dia.

Renato Carlos Sampaio Raggio afirma que todos os exames que mesmo que apareçam normais, é necessário exames mais específicos em casos como esse, a avaliação da rotina da criança condiz com esse tipo de análise. Para constatar o problema da ocorrência, a mãe teve que chamar um médico particular que ao chegar no quarto da criança, ele viu o bórax e perguntou para Valentina o que era. Ele já sabia, mas quis que ela contasse e explicasse como usava. Depois, me disse que ela estava em processo de envenenamento por conta desse produto. Ele me contou que já desconfiava ser um processo grave de intoxicação.

Outras mães histórias de mães que relataram casos parecidos de acordo com a mãe de Valentina. Ela diz ter recebido muitas mensagens desde que publicou a situação em seu Instagram. É diz: “Não dou conta de ler tudo. Recebi a ligação de uma mãe que está com a menina na mesma situação há 53 dias, não melhora e ninguém descobre o que é, soube de muita criança queimada, sem unhas, com placas na pele, entre outras ocorrências.”

Contudo, a menina foi intoxicada por slime caseiro. É uma das coisas que as crianças mais gostam de fazer hoje em dia. Conforme contou em um post no Facebook repercutido por diversos sites de notícias e posteriormente apagado, a menina teria sido levada ao hospital com um quadro de gastroenterite (condição normalmente caracterizada por diarreia, cólicas, náuseas, vômitos e febre) e, após dias de acompanhamento, teria sido diagnosticada com a intoxicação por bórax, algo que reaqueceu a discussão sobre a segurança do slime.

Na publicação, que viralizou, ela relatou que o quadro teria se agravado conforme os dias se passaram sem que os médicos desconfiassem da causa do problema. Após uma semana internada, porém, ela teria recebido o diagnóstico de “envenenamento por bórax”.

Para tornar a brincadeira mais segura, porém, há algumas dicas. De acordo com os especialistas, garantir que a criança use luvas ao mexer com a geleca, orientá-la a não encostar outras partes do corpo que não a mão nela, certificar-se de que ela não está colocando a mão na boca ou nos olhos, limitar o tempo da brincadeira e supervisioná-la o tempo todo são alguns exemplos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here