Segundo o  jornal Valor Econômico, Werner Suffert é cotado para assumir a posição de vice-presidente financeiro, ocupado por Fernando Passos, e da presidência executiva da IRB Brasil (IRBR3), ocupada por José Carlos Cardoso.

A crise no comando da empresa vem logo após a Berkshire Hathaway, holding de investimentos do bilionário americano Warren Buffet, ter negado a compra de ações da IRB Brasil.

Atualmente, Suffert é diretor de financeiro e de relações com investidores da BB Seguridade. O executivo já tem passagem pelo companhia, mas renunciou no dia 27 de fevereiro. No mesmo dia de seu suplente, Rafael Sperendio.

Conforme informações apuradas pelo jornal, ainda há algumas pendências a serem resolvidas para a assunção oficial.

Para a presidência do conselho do IRB, o nome mais forte para assumir a cadeira é o de Antonio Cassio. O empresário ocupa o cargo de CEO Americas do Grupo Generali desde abril de 2015. Procurado, ele declarou que não havia recebido o convide até o momento.

O conselho está reunido para discutir medidas sobre a crise na companhia e analisar mudanças na diretoria. Após a renúncia Ivan Monteiro ao comando do conselho administrativo , o cargo foi preenchido interinamente pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Quando procurados pelo veículo, Itaú Unibanco e Bradesco não responderam. Os dois maiores acionistas da empresa também não comentaram o assunto.

Entenda o que está acontecendo

A Berkshire Hathaway desmentiu nesta terça-feira (3) a compra de ações da IRB Brasil. A informação tinha sido divulgada na semana passada pelo jornal “O Estado de S.Paulo”.

“Surgiram relatos recentes na imprensa brasileira que a Berkshire Hathaway Inc. teria se tornado acionista da IRB Brasil RE. Esses relatos são incorretos. A Berkshire Hathaway não é atualmente um acionista da IRB, nunca foi acionista da IRB e não tem intenção de se tornar acionista da IRB”, salientou a empresa do megainvestidor Warren Buffett.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here